A dor na coluna vertebral na região lombar e na região cervical (pescoço) é altamente prevalente e geralmente é a causa de muitos dias de trabalho perdidos. Tensões e entorse de músculos lombares são as causas mais comuns de dor lombar. A coluna torácica também pode ser um local de dor na coluna vertebral, mas, como é muito mais rígida, a área da coluna vertebral torácica é muito menos frequentemente lesada do que a coluna lombar e cervical.

A coluna lombar e cervical são propensas a tensão por causa de sua função de sustentação de peso e envolvimento em movimento, torção e flexão. A tensão muscular lombar é causada quando as fibras musculares são anormalmente esticadas ou rasgadas. A entorse lombar é causada quando os ligamentos – as bandas difíceis de tecido que mantêm os ossos unidos – são incomumente esticados. Ambos podem resultar de ferimentos repentinos ou uso excessivo gradual.

Quando a coluna lombar é esticada ou entorse, os tecidos moles ficam inflamados. Essa inflamação causa dor e pode causar espasmos musculares. Mesmo que a distensão ou entorse lombar possa ser muito debilitante, geralmente não requer atenção neurocirúrgica.

A dor na coluna pode ser causada por coisas mais graves que podem exigir consideração cirúrgica. Estes geralmente envolvem dores na coluna vertebral que irradiam para braços, pernas ou em torno da caixa torácica, de costas para o peito anterior.

Três tipos de músculos suportam a coluna:

  • Extensores (músculos das costas e glúteos);
  • Flexores (músculos abdominais e iliopsoas);
  • Oblíquos ou rotadores (músculos laterais).

Sintomas

Lombalgia não cirúrgica, dor cervical e torácica geralmente afetam o tecido mole central ou paraespinhal sem irradiar para os braços, ao redor do peito ou para as pernas. Pelo contrário, a dor que irradia da coluna para as extremidades ou para a parede torácica implica um aperto estrutural dos nervos na coluna que pode exigir uma opinião cirúrgica se a situação não melhorar em alguns dias ou semanas com tratamento sintomático não cirúrgico.

Outros sintomas incluem:

  • Rigidez na região lombar, restringindo a amplitude de movimento;
  • Incapacidade de manter a postura normal devido à rigidez e/ou dor;
  • Espasmos musculares com atividade ou em repouso;
  • Dor que persiste por um período máximo de 10 a 14 dias;
  • Perda notável da função motora, como a capacidade de andar na ponta dos pés ou no calcanhar.

Tratamento não Cirúrgico da Coluna

O desenvolvimento de tratamentos aprimorados para lidar com as condições da coluna vertebral é a base do nosso trabalho. Por meio de nossos programas de pesquisa, exploramos procedimentos, tecnologias, dispositivos e medicamentos avançados e fornecemos aos pacientes acesso a ensaios clínicos de novas terapias.

As condições da coluna vertebral tratadas pelos nossos especialistas incluem:

  • Ciática;
  • Hérnia de disco;
  • Estenose espinal;
  • Estenose cervical;
  • Osteoartrite;
  • Fraturas da coluna vertebral;
  • Tumores da coluna vertebral;
  • Infecções da coluna vertebral;
  • Escoliose e deformidades em adultos;
  • Tratamento Não Cirúrgico.

A maioria das condições da coluna vertebral não requer cirurgia. Nossa equipe trabalhará com você para utilizar soluções não cirúrgicas sempre que possível. Esses tratamentos podem incluir exercícios terapêuticos, terapia de injeção e medicamentos.

Dor nas costas que ocorre ao longo da coluna vertebral muitas vezes pode ser tratada sem cirurgia.

Os tratamentos não cirúrgicos comuns incluem:

  • Medicamentos anti-inflamatórios (vendidos sem receita ou com receita médica);
  • Descanso de cama de curta duração (dois a cinco dias);
  • Alteração de atividade;
  • Em injeções.

Ao combinar métodos terapêuticos não operatórios com um programa de fisioterapia personalizado, nossos fisiatras são capazes de tratar condições específicas dos pacientes, como hérnia de disco, artrite, lesões musculoesqueléticas e lombalgia e dor no pescoço.

Cirurgia na coluna

Cirurgia Minimamente Invasiva da Coluna

O campo da cirurgia da coluna vertebral está sendo transformado por técnicas cirúrgicas minimamente invasivas. Estamos na vanguarda das inovações em cirurgia espinhal minimamente invasiva, fornecendo uma ampla gama de terapias para distúrbios e lesões na coluna vertebral. Os procedimentos minimamente invasivos incluem:

  • Cifoplastia;
  • Cirurgia endoscópica para doenças do disco e preservação do movimento da coluna;
  • Fusão;
  • Técnicas descompressivas.

Usando instrumentos especializados para diminuir o tamanho da incisão e reduzir lesões no tecido circundante, os distúrbios da coluna vertebral tratados por nossos cirurgiões da coluna resultam em menos dor, recuperação mais rápida e melhor funcionamento.

Os pacientes candidatos ao tratamento minimamente invasivo incluem aqueles com:

  • Disfunção articular sacroilíaca crônica (SI);
  • Hérnia de disco;
  • Infecções;
  • Cifose;
  • Escoliose;
  • Fraturas da coluna vertebral;
  • Estenose espinal;
  • Espondilolistese;
  • Tumores;
  • Cirurgia da coluna aberta.

Algumas condições da coluna vertebral requerem cirurgia aberta ou tradicional para dar ao cirurgião acesso adequado à coluna. As condições que podem exigir cirurgia aberta incluem:

  • Osteoartrite degenerativa;
  • Fraturas;
  • Escoliose;
  • Infecções;
  • Tumores.

Os avanços nas tecnologias de computador e de imagem fornecem aos nossos cirurgiões a capacidade de ampliar a visão da coluna vertebral do paciente durante a cirurgia. Isso ajuda a orientar os cirurgiões para áreas críticas da coluna vertebral, minimizando a interrupção dos músculos, tecidos, nervos e vasos sanguíneos próximos.

Substituição total do disco

Durante a substituição total do disco, um disco degenerativo é substituído por um disco artificial. Vantagens da substituição total do disco em relação à fusão espinhal convencional:

  • Menor tempo de recuperação;
  • Desconforto pós-operatório reduzido;
  • A maioria dos pacientes pode retornar às atividades normais e de movimento total dentro de seis semanas (em comparação com 3-6 meses após um procedimento de fusão).
ortopedista especialista em coluna

A dor na coluna vertebral na região lombar e na região cervical (pescoço) é altamente prevalente e geralmente é a causa de muitos dias de trabalho perdidos. Tensões e entorse de músculos lombares são as causas mais comuns de dor lombar. A coluna torácica também pode ser um local de dor na coluna vertebral, mas, como é muito mais rígida, a área da coluna vertebral torácica é muito menos frequentemente lesada do que a coluna lombar e cervical.

A coluna lombar e cervical são propensas a tensão por causa de sua função de sustentação de peso e envolvimento em movimento, torção e flexão. A tensão muscular lombar é causada quando as fibras musculares são anormalmente esticadas ou rasgadas. A entorse lombar é causada quando os ligamentos – as bandas difíceis de tecido que mantêm os ossos unidos – são incomumente esticados. Ambos podem resultar de ferimentos repentinos ou uso excessivo gradual.

Quando a coluna lombar é esticada ou entorse, os tecidos moles ficam inflamados. Essa inflamação causa dor e pode causar espasmos musculares. Mesmo que a distensão ou entorse lombar possa ser muito debilitante, geralmente não requer atenção neurocirúrgica.

A dor na coluna pode ser causada por coisas mais graves que podem exigir consideração cirúrgica. Estes geralmente envolvem dores na coluna vertebral que irradiam para braços, pernas ou em torno da caixa torácica, de costas para o peito anterior.

Três tipos de músculos suportam a coluna:

  • Extensores (músculos das costas e glúteos);
  • Flexores (músculos abdominais e iliopsoas);
  • Oblíquos ou rotadores (músculos laterais).

Sintomas

Lombalgia não cirúrgica, dor cervical e torácica geralmente afetam o tecido mole central ou paraespinhal sem irradiar para os braços, ao redor do peito ou para as pernas. Pelo contrário, a dor que irradia da coluna para as extremidades ou para a parede torácica implica um aperto estrutural dos nervos na coluna que pode exigir uma opinião cirúrgica se a situação não melhorar em alguns dias ou semanas com tratamento sintomático não cirúrgico.

Outros sintomas incluem:

  • Rigidez na região lombar, restringindo a amplitude de movimento;
  • Incapacidade de manter a postura normal devido à rigidez e/ou dor;
  • Espasmos musculares com atividade ou em repouso;
  • Dor que persiste por um período máximo de 10 a 14 dias;
  • Perda notável da função motora, como a capacidade de andar na ponta dos pés ou no calcanhar.

Tratamento não Cirúrgico da Coluna

O desenvolvimento de tratamentos aprimorados para lidar com as condições da coluna vertebral é a base do nosso trabalho. Por meio de nossos programas de pesquisa, exploramos procedimentos, tecnologias, dispositivos e medicamentos avançados e fornecemos aos pacientes acesso a ensaios clínicos de novas terapias.

As condições da coluna vertebral tratadas pelos nossos especialistas incluem:

  • Ciática;
  • Hérnia de disco;
  • Estenose espinal;
  • Estenose cervical;
  • Osteoartrite;
  • Fraturas da coluna vertebral;
  • Tumores da coluna vertebral;
  • Infecções da coluna vertebral;
  • Escoliose e deformidades em adultos;
  • Tratamento Não Cirúrgico.

A maioria das condições da coluna vertebral não requer cirurgia. Nossa equipe trabalhará com você para utilizar soluções não cirúrgicas sempre que possível. Esses tratamentos podem incluir exercícios terapêuticos, terapia de injeção e medicamentos.

Dor nas costas que ocorre ao longo da coluna vertebral muitas vezes pode ser tratada sem cirurgia.

Os tratamentos não cirúrgicos comuns incluem:

  • Medicamentos anti-inflamatórios (vendidos sem receita ou com receita médica);
  • Descanso de cama de curta duração (dois a cinco dias);
  • Alteração de atividade;
  • Em injeções.

Ao combinar métodos terapêuticos não operatórios com um programa de fisioterapia personalizado, nossos fisiatras são capazes de tratar condições específicas dos pacientes, como hérnia de disco, artrite, lesões musculoesqueléticas e lombalgia e dor no pescoço.

Cirurgia na coluna

Cirurgia Minimamente Invasiva da Coluna

O campo da cirurgia da coluna vertebral está sendo transformado por técnicas cirúrgicas minimamente invasivas. Estamos na vanguarda das inovações em cirurgia espinhal minimamente invasiva, fornecendo uma ampla gama de terapias para distúrbios e lesões na coluna vertebral. Os procedimentos minimamente invasivos incluem:

  • Cifoplastia;
  • Cirurgia endoscópica para doenças do disco e preservação do movimento da coluna;
  • Fusão;
  • Técnicas descompressivas.

Usando instrumentos especializados para diminuir o tamanho da incisão e reduzir lesões no tecido circundante, os distúrbios da coluna vertebral tratados por nossos cirurgiões da coluna resultam em menos dor, recuperação mais rápida e melhor funcionamento.

Os pacientes candidatos ao tratamento minimamente invasivo incluem aqueles com:

  • Disfunção articular sacroilíaca crônica (SI);
  • Hérnia de disco;
  • Infecções;
  • Cifose;
  • Escoliose;
  • Fraturas da coluna vertebral;
  • Estenose espinal;
  • Espondilolistese;
  • Tumores;
  • Cirurgia da coluna aberta.

Algumas condições da coluna vertebral requerem cirurgia aberta ou tradicional para dar ao cirurgião acesso adequado à coluna. As condições que podem exigir cirurgia aberta incluem:

  • Osteoartrite degenerativa;
  • Fraturas;
  • Escoliose;
  • Infecções;
  • Tumores.

Os avanços nas tecnologias de computador e de imagem fornecem aos nossos cirurgiões a capacidade de ampliar a visão da coluna vertebral do paciente durante a cirurgia. Isso ajuda a orientar os cirurgiões para áreas críticas da coluna vertebral, minimizando a interrupção dos músculos, tecidos, nervos e vasos sanguíneos próximos.

Substituição total do disco

Durante a substituição total do disco, um disco degenerativo é substituído por um disco artificial. Vantagens da substituição total do disco em relação à fusão espinhal convencional:

  • Menor tempo de recuperação;
  • Desconforto pós-operatório reduzido;
  • A maioria dos pacientes pode retornar às atividades normais e de movimento total dentro de seis semanas (em comparação com 3-6 meses após um procedimento de fusão).

Localização & Contato

QI 15 Lago Sul – Brasília/DF Victoria Medical Center Em frente ao Hospital Brasília Telefone: (61) 3248-4490 | 3248-4287 | 3248-4544 Whatsapp agendar pelo whatsapp (61) 99216-3945

Horário de Funcionamento: 2ª a 6ª de 8:00 às 18:00 Localização no mapalocalizacao maps

Victoria Medical Center
Victoria Medical Center

Localização & Contato

SHIS o – QI 15, Lago Sul, Brasília – DF Victoria Medical Center Em frente ao Hospital Brasília Telefone: (61) 3248-4490 | 3248-4287 | 3248-4544 Whatsapp agendar pelo whatsapp (61) 99216-3945

Horário de Funcionamento: 2ª a 6ª de 8:00 às 18:00 Localização no mapalocalizacao maps

clinica-de-ortopedia-brasilia-1-460x295
clinica-de-ortopedia-brasilia-3-460x295
A Clínica Cobra Ortopedista 4
clinica-de-ortopedia-brasilia-6-460x295
clinica-de-ortopedia-brasilia-5-460x295
clinica-de-ortopedia-brasilia-7-460x295

Avaliações

“Dr Saulo é excelente.. super recomendo!!! Eu adorei o resultado do tratamento, indico a todos. Médico atencioso e muito inteligente, me explicou tudo com muita calma e me mostrou o melhor tratamento”avaliacao 5 estrelas DÉA LUCIMARA SOUZA

“O Dr Paulo é  ‘O MÉDICO’! Mega competente, excelente resultados com os tratamentos feitos no meu joelho!”avaliacao 5 estrelas JÚNIOR CLÁUDIO FONTENELLE

“Atendimento foi na hora, excelente clínica e o Dr me atendeu muito bem. Gostei bastante!” avaliacao 5 estrelas FAFÁ GOUVEIA

“Eu acho que o tratamento certo com o médico certo faz toda diferença para uma atleta. Gostei de ter encontrado o Dr. João Simionatto pois ele resolveu tudo da melhor forma possivel no meu ombro e braço.” avaliacao 5 estrelas LUANA COELHO